Início » ...em forma de Poema » Descontinuidade

Descontinuidade

Presa

Garrafas vazias,
Cigarros apagados
Nas bocas sedentas de amor.
Futilidades.
Risos infernais
De seres incompreendidos.
Jovens, paixões,
Amores em forma de buraco negro.

Descontinuidade

Caminhos tortuosos,
Meticulosamente traçados
Para virgens envergonhadas
Por carregarem uma membrana estúpida.
Futebol. Discotecas. Futebol. Telenovelas.
Sóis azuis. Campos amarelos
De gente com fome.
Crianças subalimentadas, terceiro mundo.

Descontinuidade.

Luísa L. (1982)

Bote abaixo!...

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s