Início » ...na minha Opinião » Dois Dias de Felicidade a Dormir no Sofá

Dois Dias de Felicidade a Dormir no Sofá

Queridos leitores, se não sabem ficam a saber: para mim, todos os dias são dias de festejar. Na minha célula familiar – credo… esta metáfora faz-me lembrar uma ameba. Fiquem os meus queridos informados que eu tenho consciência que o bicho é unicelular e cá em casa somos cinco. Posto no devido lugar os meus (des)conhecimentos científicos, vamos para a frente. Como estava dizendo, na célula familiar, que é a base da sociedade – esta coisa da “base”, engrandece qualquer frase –, comemoramos os aniversários propriamente ditos (dia em que cada um nasceu), os aniversários de casamento, de divórcio (eu e o meu marido éramos divorciados quando demos o nó), o dia em que começamos a namorar, o dia do primeiro beijo, o dia do primeiro amuo, o dia em que nasceu o primeiro dente a cada criança, o dia em que caiu o primeiro dente a cada criança… Resumindo – se não nunca mais daqui saio –, eu gosto tanto de comemorações, que todos os dias há festarola.

Hoje, quando acordei, fui ver a minha agenda e fiquei pr’a morrer. Nada para comemorar. “Não pode ser”, disse para os meus botões que era o que estava mais à mão. Comecei a andar de um lado para o outro. As pernas tremiam-me como varas verdes, de tão nervosa que estava perante tal catástrofe. “E agora o que é que eu vou fazer?”, continuei matutando, “Sem bolo para fazer, sem lembrança para dar, sem jantar especial… pior…” e pus-me a chorar, “… pior, sem nada para partilhar com os meus queridos leitores!”. Tentei acalmar-me. Sentei-me devagar na posição de lótus – confesso que a muito custo, pois as minhas articulações estão a cada dia mais velhas – e meditei uns dois ou três minutos. Nada como a meditação para nos dar ideias luminosas!

Queridos leitores, já que chegaram até aqui – agradeço aos corajosos, amigos e especialmente à minha mãe -, quero partilhar convosco uma enorme felicidade! Hoje faz exactamente dois dias que estou a dormir no sofá!

Já há uns meses a esta parte que eu e o meu bêbado andávamos infelizes. Todas as noites, depois de nos metermos debaixo dos lençóis, dialogávamos calma, longa e amorosamente acerca das pequenas e grandes coisas do nosso dia a dia. Até aqui tudo bem. Verdade seja dita, os diálogos nem sempre eram longos e amorosos. Por vezes até se transformavam em monólogos um tanto ácidos; ou, outras vezes, um de nós ficava a meio da primeira frase, porque o outro já estava a ressonar. Mas, como disse atrás, até aqui, conseguíamos ser o mais feliz dos casais. O pior era quando nos tocávamos! Mal as nossas mãos começavam a tentar explorar o corpo do outro e os nossos corpos se aproximavam apressados, começava aquela chinfrineira. Nada a fazia calar. Nem um movimento mais lento, nem uma mudança de posição, nada. Era desesperante tal barulheira infernal. Então, os nossos corpos afastavam-se medrosos, sem nada terem partilhado.

Ora, há precisamente dois dias, olhámos um para o outro bem no fundo dos olhos, e tomamos uma das decisões mais importantes da nossa vida. Por mais que nos custasse, pois foram quase onze anos de convívio diário, por mais desconfortável que fosse esse desapego, tínhamos que trocar de cama! E assim foi meus amigos, há dois dias que estamos a dormir no sofá – diga-se de passagem, é desconfortável como tudo, mas silencioso como uma girafa. A cama nova chegará ao novo lar amanhã. Assim, que fique já registado, no dia 4 de Março vamos comemorar o dia da Cama Nova!

MyFreeCopyright.com Registered & Protected

Advertisements

31 thoughts on “Dois Dias de Felicidade a Dormir no Sofá

  1. Pingback: Dois Dias de Felicidade a Dormir no Sofá - Plik

  2. Costume louvável!
    Hahaha!
    Me deu vontade de comemorar tudo também, e me livrar um pouco desse meu maldito mau humor!

    E uma cama nova é algo perfeito, afinal, o rangido insistente pode acordar os vizinhos, hahaha!

    Muito bom esse texto!
    Parabéns!

    Gostar

    • Marlon, eu também ando com um mau humor dos diabos!
      O Governo consegue azedar-me até à medula, isto é só uma tentativa de esquecer as coisas más que se passam por cá! rsrsrsrs

      Abraços!

      Gostar

  3. Ola Luisa.

    Ao ler o titulo do post confesso que fiquei um pouco assustado. Afinal é por uma boa causa.

    Ha um tipo de sofas que se chama cambalhota. Não sei se é o caso, mas se for está apropriado.

    Gostei deste post bem disposto. Boas comemorações.
    Beijinho

    Gostar

    • Manuel,

      Vamos rindo… perante tanta “desgraça” temos que manter o astral elevado! (risos)
      Olha eu conheço esses sofás! São óptimos para quando temos visitas inesperadas! 🙂

      Beijinhos!

      Gostar

  4. Só tu mesmo Luísa rsrsr
    A cama era queixinhas?
    Quem manda a cama denunciar os ocupantes. Fizeste muito bem rua com ela.
    O dia 4 de Março vai ser comemorado oficialmente o “Dia da Cama Nova”
    Parabéns pelo artigo que é verdadeiramente hilariante.
    Abs

    Gostar

  5. Pingback: Ver! | Blog | Dois Dias de Felicidade a Dormir no Sofá

  6. rsrs muito bom Luísa!

    Espero que a nova cama seja mais discreta. Ou menos indiscreta. O importante é que seja silenciosa. Absolutamente. E, melhor ainda, que as outras datas já estejam preenchidas com festas. Trocar todos os móveis da casa pode ser meio “desestabilizante”. Ao menos, financeiramente.

    Mas o texto é genial!

    Gostar

    • Olha Zé, como o Sócrates nos deu uma machadada nos salários, a partir de agora só vou comemorar coisas intangíveis! Pelo menos até me lembrar do preço da mobília que, pelo andar da carruagem, deve demorar aí uns vinte anos! rsrsrsrs

      Beijinhos!

      Gostar

  7. Luisa, conforme lia ficava preocupada, mas esperançosa que fosse problema com alguma coisa no quarto e, não com o casal. Por fim, estou aliviada.

    Se não estava inspirada, amiga, conseguiu rabiscar um ótimo texto. Prepare-se bem bonita para estrear a cama nova!

    Aproveito para agradecer sua visita ao meu blogue e fazer parte da lista de membros.
    Meu afetuoso abraço,
    Yolanda

    Gostar

  8. Lú,

    Fez-me rir muito com os motivos para comemoração. Quanto a cama, deixe-a ir sem dó, a nova fará com que vocês possam voltar as conversas.
    bejocas

    Gostar

  9. Ahhhhh, bom… sofá… pensei logo em briguinhas,rs! Deve ter sido bom ter variado um pouco; pelo menos por duas noites. Adorei a expressão “silencioso igual a uma girafa”, rs! Lu, sobre eçça coisa de não se ter o que comemorar e quando não tiveres nada na agenda, faça como naquela canção do Stevie Wonder: “Nenhuma data especial, nada a comemorar, mas eu só telefonei, pra dizer: te amo…”

    Gostar

    • Radi, nos próximos tempos vou por o reportório do Stevie Wonder na linha.
      Com esta aquisição, os móveis e electrodomésticos estão proibidos de se estragar cá em casa! 😀 😀

      Beijos!

      Gostar

  10. Oi minha querida…. atrasadinha né?! mas agora estou de volta… e já andei pelo seu blog e sei que vou ter muito o qeu colocar em dia….hehehehehehe
    Mas, vou começando pelas últimas postagens…..
    Luíza, uma cama faz a diferença na nossa vida…. e olha que cama barulhenta e desconfotável acaba com o humor do mais bem himorado dos mortais……kkkkkkk
    Beijusssss

    Gostar

  11. Luísa, tuas crônicas são subversivas da família burguesa, e estão à frente. São libelos de sinceridade, que desmitificam a moral e desafiam a sociedade estabelecida a rever suas ideologias ultrapassadas. Por isso, adquirem o tom fantástico do cotidiano e nos tocam de perto. Acompanho tuas crônicas com muito prazer, mais uma vez obrigado por compartilhá-las! A propósito, essa iniciativa de um calendário de comemorações pesoais/familiares é muito louvável, já que tendemos a esquecer nosso passado. Com certeza, não valorizamos muito a importância de acontecimentos pessoais, que deveriam ser lembrados. Bjos e abrazs!

    Gostar

  12. Acrescentaria que o “realismo-fantástico” tem o poder de humanizar, pelo fato de ensejar espanto diante do nosso desgastado cotidiano. E tuas crônicas são abordagens microscópicas sobre as pequenas coisas que nos comovem, pequenos momentos cismáticos sobre detalhes da vida que desvalorizamos, esquecendo-nos de apreendê-la reflexivamente. Mais uma vez, reconheço-o.

    Gostar

    • Smirdiakov, são momentos como este, em que fico para aqui, em frente a um rectângulo branco sem saber o que hei-de escrever, que me fazem feliz. Não é fácil comunicar através da escrita, pelo menos para mim. Por isso, fico deslumbrada quando a minha mensagem é descodificada e compreendida. Muito obrigada por leres os meus momentos!

      Beijos!

      Gostar

  13. Boa!Uma dica melhor ainda que camas com potencial de escândalo:Camas redondas de cimento!!!Eu vi uma num blog que sigo e confesso que fiquei com inveja!O cara fez de tijolo, fez o contorno com um compensado flexível, e forrou de couro!Ficou muito bacana!Muito engraçado seu post!Heheheh!!!

    Gostar

Bote abaixo!...

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s